sexta-feira, dezembro 29, 2006

BACALHAU À GIGI













Olá a todos
Espero que tenham tido um feliz Natal. O meu foi bom, embora não tenha sido o melhor da minha vida. Por razões profissionais, faltaram pessoas importantes. Mas, enfim... não me posso queixar. As que estiveram presentes também são importantes e, se não estivessem, também não seria um Natal feliz. É bom que isto aconteça às vezes para nos lembrarmos que o Natal é tudo menos presentes!
Mas, deixemos o Natal de parte. Já passou. Agora, vem aí o Ano Novo e o que espero para todos é que ele nos traga muitos momentos de alegria....
Passada esta introdução vamos à receita, que será a minha última deste ano. Não penso passar muito tempo na cozinha durante os próximos dias (riso).
Esta é uma receita que, sem ser a melhor do mundo, é bastante boa e excelente para aqueles dias em que, apesar de nos apetecer fazer uma coisa diferente, estamos sem grande imaginação. O segredo é usar-se uma quantidade bastante grande de alho. Quanto mais alho melhor...
A receita foi-me dada pela minha melhor amiga, a Gigi (daí ter baptizado este bacalhau com o seu nome), que é um verdadeiro livro de culinária de pratos simples, rápidos e, quase todos, bons.

Hoje, como só eramos dois para jantar, usei duas postas de bacalhau.
Descasquei duas cabeças de alho, às quais juntei uma colher de sobremesa de colorau em pó e 1,5 dl de azeite. Coloquei estes ingredientes numa picadora, de modo a fazer-se uma espécie de pasta.
Barrei bem as postas do bacalhau com esta pasta e levei ao forno, já aquecido, cerca de 40 minutos. Se vir que está a ficar com pouco molho, juntar um fio de azeite.
Bom apetite e muito bom ano de 2007!




quarta-feira, dezembro 20, 2006

Sopros de consoada


Esta é uma das receitas que costumo fazer no Natal. São bastante bons, posso garantir.
A todos FELIZ NATAL....


Ingredientes
2 ovos; 250 grs de açúcar; 2 laranjas; 100 grs de farinha de trigo; 60 grs de farinha maizena; 1 colher de chá de fermento em pó; 1 colher de café de sal fino e 2 colheres de sopa de óleo.

Confecção:
Bata as claras em castelo, junte-lhes as gemas e bata devagar. Acrescente 50 grs de açúcar e a raspa de laranjas. À parte, peneire as farinhas com o fermento e o sal e junte o preparado, assim como o óleo e o sumo das laranjas, De seguida, envolva as claras. Frita colheradas deste preparado em óleo bem quente. Vire, para que fritem de ambos os lados, coloque a escorrer sobre papel absorvente. Por fim, passe pelo açúcar.

sábado, dezembro 16, 2006

Árvore de Natal


Aqui está a minha. Muito cheia de coisas em minha opinião. Mas, como é Natal, ninguém leva a mal... risos

Filetes com coentros

Esta é uma opção fácil, saborosa e saudável. Espero que gostem...

Ingredientes
- 1 embalagem de filetes (pescada, tamboril ou qualquer outro peixe branco)
- 1 molho de coentros
-2 dentes de alho
- azeite q.b.
- 1 colher sopa farinha
-1 colher de sopa de manteiga
- 2 colheres de sopa de vinho branco
- sumo de limão
- sal
-pimenta preta


Confeccção

Descongelar os filetes e temperá-los com sumo de meio limão, sal e pimenta preta. Num copo misturador juntar 2 dentes de alho com o molho de coentros frescos, sal e 1 fio de azeite. Desfazer bem. Levar ao lume a manteiga e juntar o molho de coentros e alho. Mexer e deixar alourar. Misturar 1 colher de farinha com um pouco de água, desfazer bem e juntar ao preparado. Juntar de seguida os filetes e deixar cozer em lume brando. Borrifar com o vinho branco. Se o molho engrossar de mais, junte um pouco de água.
Quando os filetes estiverem cozidos, borrifar com umas gosta de sumo de limão e, se gostar, polvilhar com um bocadinho mais de coentros. Acompanhar com arroz branco ou puré de batata.

Bom apetite!

quinta-feira, dezembro 14, 2006

CARTA AO PAI NATAL

Hoje não vou colocar aqui nenhuma receita. Por graça, vou cometer uma inconfidência com a minha filhota, desvendando a carta que ela escreveu ao Pai Natal. Porque, apesar de ter feito agora 13 anos, ainda tem muitas coisas de menina, que adoro.
Infelizmente, este ano é o primeiro que ela já não tem a convicção de que o Pai Natal existe. Com grande pena minha. Todos os anos, um dos momentos em que mais adorávamos era aquele em que ela procurava na rua, junto à porta ou ao pé da chaminé as prendas que chegavam pela magia. Era uma alegria! Para ela e para nós.
E, embora o Pai Natal tivesse o cuidado de não lhe dar tudo o que ela pedia (muitas vezes não dava mesmo o que ela mais queria), nunca ficou "zangada" com esse ser que eu sempre lhe disse que existia apenas para as crianças. O Pai Natal era a magia, uma fantasia tipo "Peter Pan". Ainda o ano passado, cheia de dúvidas sobre a sua existência, pediu na carta que lhe escreveu que ele lhe deixasse uma prova da sua existência: uma carta escrita pelo seu próprio punho. Claro que resolvi o problema, pedindo a uma amiga que o fizesse. Quando a recebeu leu-a, disse que tinhamos sido nós a fazê-la, mas a verdade é que cumpriu uma das exigências que o Pai Natal lhe fez: não podia deixar ninguém ler a carta, caso contrário ela desapareceria. A verdade é que ainda hoje a tem guardada e nunca deixou que ninguém a lesse!
Acabou e, este ano, sobra-me esta carta e a alegria de ter feito a minha filha sonhar durante muitos anos. Uma capacidade que, hoje em dia, infelizmente, as crianças perdem muito cedo. Ah, e a preocupação de arranjar uma fotagrafia do Pai Natal com um ar bastante credível... o que não vai ser fácil (riso)!


A CARTA DA TERESA

Olá!!!
Tb?? olha eu vou directa ao assunto..lol
Então eu este ano queria....
-1 ipod q já saiu nos estados unidos e é muta bom..lol mas não é daqueles grandalhões...tu deves de saber qual é..
-sims da noite, sims da universidade, sims glamour
- está bem, e so se poder ser um: sims pets
- faz as crianças necessitadas felizes
Os que estão a negrito são os que quero mesmo.
bjinhos Teresa

P.s- como se calhar eu para o ano posso não te escrever porque já sou muito crescida este ano ( ja que tu existes) da-me uma foto tua

quarta-feira, dezembro 13, 2006

ARROZ DO FORNO

Uma das coisas que mais aprecio no Natal é o almoço do dia propriamente dito. Regra geral, nesta altura do ano,rumamos ao Norte de Portugal, para casa dos meus pais e são uns dias a trabalhar com afinco para a engorda....
No dia de Natal, a minha mãe costuma acender o forno de lenha e lá assa o cabrito, as batatas e faz o arroz. Típico do Norte, mas que é um verdadeiro manjar....
Como por cá não há a possibilidade, nem sequer remota, de fazer um preparado idêntico, arranjam-se uns truques para dar a determinadas comidas um sabor levemente (muito leve mesmo) parecido.
Em todo o caso, a receita que aqui vou apresentar é bastante gostosa, fácil de preparar e uma forma de cozinhar o tradicional arroz branco de um modo diferente e com um bocadinho mais de sabor do que o normal.
Já se sabe que as quantidades variam consoante o número de pessoas à mesa....

Ingredientes para 4 pessoas
- 2 chávena de arroz, que pode ser do "normal" ou basmati
- 4 chávenas e meia de água a ferver
- duas fatias de presunto finas
- bocadinhos de bacon q.b. ou a gosto
- rodelinhas de chouriço q.b.ou a gosto
- três cabeças de alho esmagados
- 1 raminho de salsa
- azeite
- sal q.b

Confecção:
Começar por pôr a água a aquecer.
Enquanto, a água vai aquecendo até ferver, levar ao lume uma panela com azeite, juntamente com o alho, as carnes e o raminho de salsa. Deixar fritar um pouco no azeite, por mais ou menos cinco minutos, em lume não muito forte, mexendo de vez em quando. De seguida, junta-se o arroz, que se envolve bem naquele preparado e se deixa fritar um pouco, mexendo sempre. Quando o arroz já está "frito", junta-se a água a ferver, mexe-se e deixa-se ficar a cozer em lume brando.
Quando a água estiver reduzida a metade, retiram-se as carnes, a salsa e o alho da panela e transfere-se o arroz para um recipiente próprio de ir ao forno.
Leva-se o arroz ao forno previamente aquecido e, quando estiver sequinho, está pronto a servir.

Bom apetite...

terça-feira, dezembro 12, 2006

PARABÉNS


Hoje a minha filhota faz 13 anos. Como o tempo corre.

Ainda ontem um bébé ao meu colo e, agora, com pretensão a ser uma senhorita...

Hoje vai ser um jantar em família, como ela quis. Mas, no fim-de-semana, lá terá a festa com as amigas e os amiguinhos.

Parabéns filhota... Sê feliz e conserva para sempre esse teu sorriso e essa tua alegria.

sábado, dezembro 09, 2006

RABANADAS


O Natal está a chegar e começam a apetecer alguns daqueles docinhos que enchem as nossas mesas na noite da consoada. Lembrei-me, por isso, de fazer umas rabanadas, uma sobremesa que, embora não aprecie tanto como as filhoses, é também bastante agradável.


Ingredientes


- pão de véspera ou com dois dias, aquele a que normalmente se chama cacete, embora também dê com pão de forma
- 3,5 dl de leite
- 4 ovos
- cinco colheres de sopa de açúcar
- pau de canela
- 1 boa casca de limão
- canela em pó e mais açucar
- óleo para fritar

Confecção:
Começa por se partir o pão em fatias, com mais ou 1,5 cm.

Leva-se o leite a ferver com as cinco colheres de sopa de açúcar, a casca de limão e o pau de canela e reserva-se, mantendo-se quente.

Entretanto, batem-se os ovos muito bem.

A seguir passam-se as fatias de pão pelo leite, depois pelo ovo batido e frita-se em óleo bem quente. Vira-se dos dois lados.

Quando as fatias estiverem douradas, retiram-se e escorrem-se sobre papel absorvente

Colocam-se numa travessa polvilhada com açucar e canela moída. Sobre as rabanadas, polvilha-se com mais um pouco de açucar e canela.


Bom apetite!!!


P.S. As rabanadas da foto estão polvilhadas com açucar em excesso.

sexta-feira, dezembro 08, 2006

Batatas gratinadas


Hoje vou deixar aqui um acompanhamento muito simples de fazer, mas que apesar da sua simplicidade é óptimo para servir com uma carne assada ou até com um bife grelhado. Além de gostoso, dá um toque de "sofisticação" na hora de pôr a comida na mesa.


Aí vai:


Ingredientes para umas quatro pessoas:

- 4 batatas grandes

- alho picado

- pimenta preta

- sal

- mostarda em grão ou então uma colher de café de mostarda bem cheia (eu uso esta última)

- um pacote de natas frescas

- pão ralado


Confecção:


Descascar as batatas e cortá-las em rodelas bem finas. Colocar num recipiente próprio de ir ao forno, que não seja muito grande, uma camada de batatas. Temperar com sal, pimenta preta moída na altura e alho picadinho. Fazer sempre assim até à última camada de batatas.

Quando tiver terminadas as camadas de batatas, despejar um pacote de natas, onde se misturou uns grãos de mostarda ou então a colher de mostarda. Polvilhar com pão ralado e levar ao forno aí uma meia hora.


Bom apetite e bom feriado....

terça-feira, dezembro 05, 2006

ESPARGUETE COM SALMÃO


Confesso que estou a ficar um bocadinho desmoralizada, por não colocar as receitas acompanhadas pela respectiva foto. Mas, depois de muito procurar, tenho de concluir que perdi aquele aparelho (não sei o nome) que serve para transferir as fotos da máquina para o computador. Terei de procurar alguma loja especializada algum aparelho que sirva para utilizar na minha máquina (esta foi comprada em Amesterdão).
Pode ser que consiga fazer essa pequisa no fim-de-semana, embora nesta altura do ano seja um verdadeiro pesadelo ir a algum local onde existam lojas. Parece que as pessoas entram todas num transe consumista que eu não consigo entender. Para mim, no Natal, as prendas deviam ser só para as crianças! Sinais do tempo....


Depois de todo este palavreado, lá vai a receita, que é muito simples, fácil e gostosa.


Ingredientes:

- Para três pessoas costumo utilizar dois bons lombos de salmão fresco

- manteiga (q.b)

- quatro a cinco cabeças de alho (gosto muito de alho)

- sal e pimenta

- 1 pacote de natas fresca

- esparguete ou qualquer outra massa a gosto


Confecção:

Cozer a massa em água da forma habitual.

Enquanto isso, cortar os lombos de salmão em pequenas lascas, com uma faca bem afiada.

Pôr a manteiga q.b. a derreter numa frigideira ou panela, juntamente com os alhos que devem ser levemente esmagados. Quando a manteiga derreter, juntar as lascas de salmão e deixar "fritar" por 4 a 5 minutos. Quando achar que o salmão está no ponto certo, juntar o pacote de natas e deixar fervilhar. Temperar com sal e pimenta preta moída na altura. Deitar sobre a massa previamente escorrida da água e... servir!

Espero que gostem. É bem agradável....

segunda-feira, dezembro 04, 2006

Jardim sem flores

Como não há foto da minha comida, aí vai uma do meu jardim ainda sem flores! Mas está para breve...




ENTRECOSTO DE PORCO NO FORNO

O fim-de-semana lá vai e nem parece que foi prolongado. Passou a correr! Mas houve tempo para ir ver as iluminações de Natal na baixa de Lisboa que me deixaram... decepcionada. Este ano estão fraquinhas: "No money, no funny"!
Enfim, sinais do tempo em que o dinheiro, dizem, não abunda :)
Acabado o fim-de-semana, lá volta a rotina, as panelas e a preocupação com o jantar. Que no meu caso é também com o almoço do dia seguinte. É que a minha filha comia da comida do colégio onde anda, o que era um descanso para mim.
Mas, este ano, tanto pediu que acabei por ceder e deixá-la levar o almoço de casa. Desenganem-se, que não foi pelos belos petiscos que a mãe prepara!!! O motivo é bem menos nobre: estar mais tempo com as amigas que também levam a comida de casa!
Porém, amanhã, uma amiguinha faz anos e, como já são crescidinhas, decidiram, com autorização dos pais, ir "almoçar fora" e comer um "belo" hamburguer.
Por isso, para o jantar de hoje decidi fazer entrecosto no forno, um prato que aprecio bastante. Pena é ainda não ter disponível a máquina fotográfica, para registar o belo do pitéu. Fica para a próxima. Mas chega de conversa e aí vai a receita. As quantidades variam consoante o número de pessoas à mesa.

Ingredientes:
- Entrecosto em tiras
- banha de porco
- bastante alho
- massa de pimentão
- salsa
- azeite
- sal
- vinho branco

Modo de preparação
Começa por se fazer uma pasta com a banha, a massa de pimentão, o alho picado, salsa picada, azeite e sal. Esta deve ser em quantidade suficiente para se barrar bem as tiras de entrecosto. Deixa-se ficar assim umas horas a carne para tomar o gosto.
Quando se levar ao forno rega-se o entrecosto com vinho branco. Deve-se virar a carne de vez em quando e, se virem que é preciso, ir regando com o vinho para não secar.
Penso que mais ou menos uma hora, com o forno a 200 graus, é suficiente para a carne ficar boa.

Bom apetite!

sexta-feira, dezembro 01, 2006

BACALHAU À ROMEU

A receita que vou colocar aqui retirei-a do livro "O Grande Livro das Receitas de Bacalhau", editado pela Impala. É uma forma bem agradável e saborosa de comer o fiel amigo. Só tem, para mim, o inconveniente de obrigar a "muitos fritos".
Mas, experimentem que, garanto, não se vão arrepender.
Vou colocar a receita mais ou menos como vem no livro, indicando as quantidades que eles recomendam para quatro doses.

Ingredientes:
-2 cebolas
-2 dl de azeite
-1 colher de chá de colorau
-3 postas de bacalhau demolhado
-5 ovos
-800 g de batatas
-farinha e óleo q.b.


Confecção:
Refogar numa panela uma cebola picada em meio decilitro de azeite. Polvilhar depois com colorau e deixar refogar mais um pouco.

Entretanto, cortar o bacalhau em pedaços, passá-los por farinha e pelos ovos batidos. Fritar ligeiramente no restante azeite. De seguida, juntar os pedaços de bacalhau ao refogado, tapar e deixar cozinhar em lume brando.

Cortar as batatas aos quartos e fritá-las em óleo. Escorrer bem a gordura. Misture-as depois com o bacalhau e deixe tomar gosto. Rectifique os temperos. Sirva quente.

Pode acompanhar com legumes salteados em azeite e alho.

Bom apetite!

quarta-feira, novembro 29, 2006

Só para relaxar...


Pescada com broa

Hoje estou num daqueles dias cheia de preguiça. Também já é tarde, quase meia-noite. A sorte é que amanhã não vou trabalhar... quatro dias sem ter que ir a Lisboa, enfrentar o trânsito! Uma maravilha!
Findos os desabafos, vou deixar aqui uma receita agradável e muito simples de fazer. Já sabem que as quantidades dependem do número de comensais...




Ingredientes:
Lombos ou centros de pescada, daqueles congelados
Broa de milho
Bacon
Cebola
Limão
Azeite q.b.
Alho
Pimenta e sal

Confecção
Comece por temperar o peixe com sumo e raspa de limão e alho picadinho (deve ser ainda com a pescada congelada) e deixe ficar por umas horas. Reserve depois esta marinada.
Num tabuleiro que possa ir ao forno, espalhe o bacon partido aos quadradinhos, assim como a cebola bem picadinha. À parte esfarela a broa de milho (às vezes pico levemente o pão na máquina picadora) e passe a pescada neste pão desfeito, de forma a que fique bem envolvido. A seguir disponha o peixe no tabuleiro, sobre o bacon e a cebola.
À marinada junte azeite (aí um dl) e bata bem. Deite este preparado sobre o peixe e tempere com sal e pimenta. Se gostar pode igualmente juntar orégãos. Vai ao forno, virando o peixe de vez em quando com cuidado e... bom apetite!

terça-feira, novembro 28, 2006

Robaldo no forno


Hoje foi um daqueles dias terríveis. Muito trabalho, muito trânsito e muita vontade de chegar a casa e não fazer nada. Mas tal não é possível. Se eu passo bem com uma sopinha (que tenho sempre pronta no frigorífico), com os outros já não é bem assim....
Para piorar, lembrei-me, quando estava no meio do trânsito, que não deixei nada a descongelar. Antes de chegar a casa, uma paragem no supermercado. O cansaço é tanto que procuro uma coisa rápida de fazer e que não me obrigue a sujar muita louça. Olho para a carne e... não.
Passo pela peixaria e que tal comprar uns robalos? É o que faço. Como não são grandes compro três (um por pessoa). É claro que o peixe não é de alto mar, veio de um viveiro ali para os lados do Algarve! O sabor, em relação ao de água salgada, não é comparável, mas é uma alternativa saudável.

Além disso, o jantar de hoje está resolvido!!!


Receita:

Começo por ligar o forno. Coloco cada um dos peixes numa folha de papel de alumínio (uma por cada peixe), regando o robalo com azeite e temperando com sal e dois a três dentes de alho picados (ou inteiros). Fecho bem a folha, de modo a que nenhum dos ingredientes "salte" cá para fora. Coloco os três embrulhos num tabuleiro e vai ao forno a uma temperatura média por 20 a 30 minutos! Já está. Pode sempre acompanhar com uma batata cozida, aproveitando para regar com o azeite em que peixe assou.
Além de saudável é um prato agradável. Por vezes, também faço com lombo de salmão fresco. Neste caso, além do azeite, alho e sal, coloco igualmente sumo de limão, já que se trata de um peixe gordo. E como gosto do salmão "mal-passado" deixo ficar menos tempo no forno.

BOM AETITE

segunda-feira, novembro 27, 2006

FILHOSES DE ABÓBORA




Este é um "doce" que a minha mãe, residente no norte do País, faz geralmente no Natal. Eu cá faço muitas vezes sempre que os dias mais frescos começam a chegar. E, até hoje, nunca tive nenhuma reclamação, embora as filhoses que a minha mãe faz sejam muito melhores. Mas quem nunca provou as da minha mãe não tem termo de comparação e, talvez por esse motivo, as minhas fazem grande sucesso. Ainda hoje fiz umas de manhã antes de ir trabalhar, a pensar no jantar, e já quase voaram.

Vamos ver é se eu consigo explicar bem a receita, que é muito simples e rápida. Vou dizer os ingredientes a olho, dando apenas medidas aproximadas para se orientarem.


Ingredientes:

- Abóbora daquela bem amarelinha e pelo menos 1 quilo para dar algumas filhoses

- 10 colheres de sopa de farinha

- 12 colheres de sopa de açuçar

- três gemas

- canela q.b

- nozes partidas aos bocadinhos (é opcional e eu, por exemplo, nunca ponho)

- óleo para fritar


Confecção:

Vamos lá ver se consigo pôr em português que todos entendam a forma de fazer estes "bolinhos" deliciosos.


A abóbora, à qual se retira a casca, deve ser partida aos bocados e cozida por uns 10 minutos em água a ferver. Isto deve ser feito de véspera

Quando cozida deve ser posta a escorrer, para largar bem a água, pelo que é aconselhável ficar assim de um dia para o outro (a minha mãe costuma colocá-la num saco de pão e pendurá-la. Eu coloco-a mesmo num daqueles coadores que se usa para a esparguete e assim fica umas 12 horas).


Quando bem escorrida, começa-se por desfazê-la com a mão, juntando-se depois a farinha. Mexe-se suavemente (sempre com a mão) de forma a incoporar bem a farinha. Junta-se o açuçar e segue-se o mesmo procedimento. Juntam-se depois as gemas e envolve-se bem. Polvilha-se com canela a gosto. Quem gostar pode juntar então as nozez.


Como disse anteriormente, as medidas são meramente indicativas . Para ver se está bem de açucar e canela, costumo provar um bocadinho do preparado. Mas há outro factor a ter em atenção: a massa, embora não deva ficar "grossa", também não deve ficar excessivamente liquida. Se isso acontecer, acrescente um pouco mais de farinha (E se ainda tiver dúvidas, frite uma ou duas filhoses, verificando a sua consistência).


Deite então colheres do preparado em óleo quente, virando as filhoses de vez em quando. Quando prontas, coloque-as sobre papel absorvente de modo a escorrerem bem o óleo.

POnha-as depois num recipente e polvilhe com canela e açucar.


Bom apetite!




domingo, novembro 26, 2006

Bolo de chocolate rápido


Adoro chocolate. Qualquer um, de tal modo que, quando vou ao supermercado, passo sempre ao lado das prateleiras onde eles estão expostos. Se tenho um, como um; se tenho dois, como dois e, assim, sucessivamente. E de forma compulsiva. Mas, curiosamente, não sou grande apreciadora de doces que levem chocolate.

Porém, não vivo sozinha e, em casa, tenho uma mocinha que, contrariamente à mãe, não liga muito a chocolate, a não ser em doce, de vez em quando, lá faço qualquer coisa que leve o dito ingrediente.
E, há uns tempos, descobri essa receita de bolo no site www.gastronomias.com que, além de ser realmente muito rápido e fácil, resulta bastante saboroso. A minha filha aprovou e os amigos também.
Aí vai a receita que, segundo o site, era de uma colaboração de Alexandra Matos.



Ingredientes:
Para a massa:
2 chávenas de farinha
1 chávena de açúcar
1 chávena de chocolate em pó
1 chávena de óleo
1 chávena de água morna
2 colheres de sobremesa de fermento em pó
4 ovos

Para a calda:
4 colheres de sopa de leite
2 colheres de sopa de chocolate em pó
1 colher de sopa de margarina

Confecção:
Para a massa: Colocam-se todos os ingredientes numa tigela e mistura-se muito bem.Leve ao forno previamente aquecido (180ºC) em forma untada com margarina e farinha durante mais ou menos 30 min.Quando o bolo estiver quase cozido, retira-se do forno, pica-se com um garfo e rega-se com a calda.Leva-se novamente ao forno por mais ou menos 5 min.
Para a calda: Misturam-se todos os ingredientes e leva-se ao lume até ferver.

P.S. Trata-se de uma foto retirada da internet e não do bolo em si, embora na aparência fique bastante parecido!

sábado, novembro 25, 2006

Croquetes de galinha (frango)

Esta é uma óptima forma de aproveitar restos de comida. Geralmente faço quando me sobra frango ou galinha estufada. Por vezes, quando estou com paciência, até faço um pouco mais de carne, já a pensar nos croquetes. Os croquetes podem sempre congelar-se, tendo-se sempre uma alternativa para aqueles dias em que o cansaço ou a preguiça nos impedem de passar muito tempo à volta do fogão.

Então costumo fazer assim:
Tiro todos os ossos e peles à carne estufada. A esta junto uns pedacinhos de chouriço em crú (não muito). Estes dois ingredientes picam-se, então, numa máquina picadora. Se gostarem podem também juntar uns cogumelos a este picado.

Ultrapassado este passo, ponho ao lume uma panela com um pouco de manteiga. Quando esta começar a derreter, junta-se a farinha e mexe-se sempre. Quando a farinha desaparecer, junte leite (aí, uns dois decílitros, dependendo da quantidade de carne), o picado de carne e salsa picada. Mexa e verifique se os temperos estão ao seu gosto.

A seguir, sim, vem a parte que exige alguma paciência. Mas vale a pena, porque os croquetes ficam muito saborosos. Tire o preparado do lume e deixe arrefecer.
De seguida, molde os croquetes, passe-os por ovo e pão ralado. Frite-os em óleo abundante ou, então, guarde no congelador para outra altura.

Bom apetite!

quinta-feira, novembro 23, 2006

Uma foto... para animar!


Como ainda não resolvi o problema com a minha máquina fotográfica, tenho de recorrer ao arquivo do computador. Blog sem foto torna-se um pouco maçudo....

Mas, na verdade, não tenho nada de interessante.

Por isso, decidi escolher esta foto numa das minhas poucas incursões ao Estádio da Luz. Devo dizer que gosto de futebol e sou benfiquista!!! Este ano, como em muitos outros, não tenho tido muitos motivos para sorrir...

Vamos lá ver se melhora.

Penso que esta foto foi tirada o ano passado, antes de começar o jogo Benfica-Manchester United, para a Liga dos Campeões, que vencemos por 2-1 (risos)!

Na verdade, devo dizer que já gostei mais de futebol. Com os casos de corrupção que têm sido notícia, deixei de acreditar na verdade desportiva. Alguém acredita???

CORRIGIR NOME DO BLOG QUE COLOQUEI NA RECEITA DE FRANGO DE FRICASSÉ

Sou um bocadinho distraída! Para não dizer muito! E ao transcrever a receita do frango de fricassé cometi um erro enorme. Escrevi mal o nome do blog de onde a retirei. Com um pedido de desculpas aí vai o endereço correcto:
www.paracozinhar.blogspot.com.

Frango de fricassé mais do que aprovado!

Cá em casa não somos grandes fãs de frango, mas às vezes é preciso, até para variar. Como tinha cá em casa umas pernas de frango de agricultura biológica, decidi experimentar uma receita que encontrei no blog "Colher de Pau". Segui a receita à risca e devo dizer que ficou... MUITO BOM! Cá em casa todos adoraram. Por isso, aí vai a receita tal e qual está no blog www.asminhasreceitas.blogspot.com.

Aí está a receita:

Ingredientes:
1 frangoAzeite
1 cebola
1clh sopa de farinha de trigo
1dl de vinho branco
½ cubo de caldo de galinha
3dl de água
2 gemas
sal e pimenta
salsa picada
1 limão

Preparação:

Limpe, lave e retire a pele ao frango. Enxugue-o, corte-o em pedaços e tempere-o com sal e pimenta.Num tacho leve ao lume o azeite e a cebola picada muito fina só para aquecerem, e junte-lhes o frango cortado. Deixe refogar, mexendo cuidadosamente com a colher de pau, de vez em quando, até tudo começar a alourar. Seguidamente espalhe a farinha, mexa novamente e junte o vinho branco. Tape e deixe suar 1 minuto e junte a água e o cubo de caldo de galinha.Deixe cozer lentamente cerca de 40 minutos. Depois de bem cozido, retire do lume. Numa tigela dilua 2 gemas com um pouco de molho e o sumo de limão e junte tudo ao frango, mexendo bem. Leve a aquecer sem ferver. Junte depois salsa picada e rectifique os temperos.

Já agora, os meus parabéns ao autor da receita!

terça-feira, novembro 21, 2006

Pataniscas de pescada ou de qualquer outro peixe...

Este é mais um prato muito simples e daqueles que é muito rápido de fazer e boa para aproveitar aqueles lombos ou centros de pescada que, regra geral, cozinhados de outra forma não são muito saborosos.
Faz-se um polme com farinha (cerca de 200 gramas) e ovos (aí uns três). A este preparado junta-se uma cebola bem picadinha, um pouco de vinho e de leite. Tempera-se de sal, pimenta preta moída na altura e salsa picada. Junta-se então o peixe já cozido e desfeito. Mistura-se bem e leva-se a fritar, às colheradas, em óleo quente.
Depois de frito ter o cuidado de escorrer bem a gordura. Acompanha com arroz ou salada.

Bom apetite

segunda-feira, novembro 20, 2006

bike...


Já que não dá para colocar fotos das receitas, deixo esta para dar um pouco de cor ao blog

Pudim de Atum

Estive sem colocar nenhum post, porque o queria fazer acompanhado de fotos. O problema era a máquina fotográfica! Agora que a máquina está operacional, falta-me aquele pequeno aparelho (confesso que não sei o nome) que me permite passar as fotos para o computador!
Queria colocar algumas receitas, acompanhadas pela foto, pois, eu quando procuro alguma receita gosto sempre de ver qual o resultado....
Porém, apesar de tal não ser no imediato possível, vou deixar aqui um prato bem simples e rápido, prometendo que, logo que seja possível, colocarei a respectiva foto.
Então aí vai.


PUDIM DE ATUM
Este é um prato muito simples, óptimo para comer no Verão, frio, acompanhado apenas por uma salada. Mas, não só. É um prato que os miúdos (para quem os tem) adoram e muito rápido de fazer, sobretudo naqueles dias em que o tempo e a paciência escasseiam. Bom também para uma refeição ligeira, acompanhando uma salada.

Ingredientes (4 pessoas)
- 1 cebola
- azeite (q.b.)
- seis latas de atum
- 4 colheres de sopa de polpa de tomate
- miolo de duas carcaças
- leite (q.b)
- pão ralado (facultativo)
- pimenta preta (facultativo)
- Azeitonas pretas, sem caroço e partidas às rodelas (q.b)
Confecção

Pica-se muito bem a cebola e aloura-se no azeite. Quando a cebola estiver transparente, junta-se o atum, que previamente se escorreu e desfez com um garfo. Envolve-se bem no preparado e deixa ficar assim três a quatro minutos.
De seguida, junta-se a polpa de tomate e mexe o preparado. Fica mais uns minutos em lume brando. Depois, junta-se o miolo do pão que, previamente, se embebeu em leite morno.
Envolve-se o preparado e, antes de tirar do lume, junta-se duas gemas, mexendo rapidamente. Adicionam-se também as azeitonas,
Se gostar polvilhe com pimenta preta moída na altura.
Unta-se uma forma com manteiga, onde se deita o preparado. Se gostar, polvilhe com pão ralado. Leve ao forno previamente aquecido, durante uns 15 a 20 minutos (180 graus).

Bom apetite

quarta-feira, novembro 01, 2006

Será que é desta??


Ontem tentei colocar uma fotografia da minha campeã no blog. Mas não consegui! Vamos lá ver se é desta....

terça-feira, outubro 31, 2006

segunda-feira, outubro 30, 2006

Vamos começar....

Gosto imenso de cozinhar, embora, em abono da verdade, não me possa considerar grande cozinheira. Esta foi uma paixão que surgiu tardiamente na minha vida e, como tal, não sou "dona" de uma grande variedade de pratos. Devo dizer que comecei a cozinhar quando a minha filha nasceu (ela hoje tem 12 anos), obrigada! Na altura, nem um ovo sabia estrelar.
Hoje em dia, adoro cozinhar, sobretudo naqueles dias em que tenho tempo! E só tenho pena de realmente não saber mais!
Mas, como procuro variar nos cozinhados que faço, leio revistas e livros de culinária e exprimento muita coisa. Nem sempre com sucesso :)
Há pouco tempo descobri os blogs culinários e tornei-me fã. Então lembrei-me: porque não relatar as minhas experiências. É isso que vou tentar fazer! Espero que gostem. Aviso: aceitem-se reclamações!

Vou começar com um prato que adoro! Adoro mesmo! E esta é uma receita da minha mãe.


Arroz de cabidela:

Começa-se por fazer um refogado de cebola em azeite. Quando a cebola começar a alourar, junta-se um pouco de água e a galinha partida aos pedaços (com frango, mesmo que seja do campo, não é a mesma coisa! Vai-se mexendo de vez em quando e, ao começar a evaporar a água, junta-se um copo de vinho branco. Quando este começar a evaporar, vai-se juntando vinho, até a galinha ficar bem cozinhada, cerca de uma hora (ou um pouquinho mais). Tempera-se de sal e junta-se água para fazer o arroz, tendo em atenção que ele deve ficar malandrinho.
Quando a água começa a ferver, junta-se o arroz. Quando este estiver quase cozido, junta-se o sangue da galinha, ao qual previamente se misturou o vinagre. Fica uns três a quatro minutos na panela, rectifica os temperos e serve. Bom apetite!