sexta-feira, dezembro 29, 2006

BACALHAU À GIGI













Olá a todos
Espero que tenham tido um feliz Natal. O meu foi bom, embora não tenha sido o melhor da minha vida. Por razões profissionais, faltaram pessoas importantes. Mas, enfim... não me posso queixar. As que estiveram presentes também são importantes e, se não estivessem, também não seria um Natal feliz. É bom que isto aconteça às vezes para nos lembrarmos que o Natal é tudo menos presentes!
Mas, deixemos o Natal de parte. Já passou. Agora, vem aí o Ano Novo e o que espero para todos é que ele nos traga muitos momentos de alegria....
Passada esta introdução vamos à receita, que será a minha última deste ano. Não penso passar muito tempo na cozinha durante os próximos dias (riso).
Esta é uma receita que, sem ser a melhor do mundo, é bastante boa e excelente para aqueles dias em que, apesar de nos apetecer fazer uma coisa diferente, estamos sem grande imaginação. O segredo é usar-se uma quantidade bastante grande de alho. Quanto mais alho melhor...
A receita foi-me dada pela minha melhor amiga, a Gigi (daí ter baptizado este bacalhau com o seu nome), que é um verdadeiro livro de culinária de pratos simples, rápidos e, quase todos, bons.

Hoje, como só eramos dois para jantar, usei duas postas de bacalhau.
Descasquei duas cabeças de alho, às quais juntei uma colher de sobremesa de colorau em pó e 1,5 dl de azeite. Coloquei estes ingredientes numa picadora, de modo a fazer-se uma espécie de pasta.
Barrei bem as postas do bacalhau com esta pasta e levei ao forno, já aquecido, cerca de 40 minutos. Se vir que está a ficar com pouco molho, juntar um fio de azeite.
Bom apetite e muito bom ano de 2007!




quarta-feira, dezembro 20, 2006

Sopros de consoada


Esta é uma das receitas que costumo fazer no Natal. São bastante bons, posso garantir.
A todos FELIZ NATAL....


Ingredientes
2 ovos; 250 grs de açúcar; 2 laranjas; 100 grs de farinha de trigo; 60 grs de farinha maizena; 1 colher de chá de fermento em pó; 1 colher de café de sal fino e 2 colheres de sopa de óleo.

Confecção:
Bata as claras em castelo, junte-lhes as gemas e bata devagar. Acrescente 50 grs de açúcar e a raspa de laranjas. À parte, peneire as farinhas com o fermento e o sal e junte o preparado, assim como o óleo e o sumo das laranjas, De seguida, envolva as claras. Frita colheradas deste preparado em óleo bem quente. Vire, para que fritem de ambos os lados, coloque a escorrer sobre papel absorvente. Por fim, passe pelo açúcar.

sábado, dezembro 16, 2006

Árvore de Natal


Aqui está a minha. Muito cheia de coisas em minha opinião. Mas, como é Natal, ninguém leva a mal... risos

Filetes com coentros

Esta é uma opção fácil, saborosa e saudável. Espero que gostem...

Ingredientes
- 1 embalagem de filetes (pescada, tamboril ou qualquer outro peixe branco)
- 1 molho de coentros
-2 dentes de alho
- azeite q.b.
- 1 colher sopa farinha
-1 colher de sopa de manteiga
- 2 colheres de sopa de vinho branco
- sumo de limão
- sal
-pimenta preta


Confeccção

Descongelar os filetes e temperá-los com sumo de meio limão, sal e pimenta preta. Num copo misturador juntar 2 dentes de alho com o molho de coentros frescos, sal e 1 fio de azeite. Desfazer bem. Levar ao lume a manteiga e juntar o molho de coentros e alho. Mexer e deixar alourar. Misturar 1 colher de farinha com um pouco de água, desfazer bem e juntar ao preparado. Juntar de seguida os filetes e deixar cozer em lume brando. Borrifar com o vinho branco. Se o molho engrossar de mais, junte um pouco de água.
Quando os filetes estiverem cozidos, borrifar com umas gosta de sumo de limão e, se gostar, polvilhar com um bocadinho mais de coentros. Acompanhar com arroz branco ou puré de batata.

Bom apetite!

quinta-feira, dezembro 14, 2006

CARTA AO PAI NATAL

Hoje não vou colocar aqui nenhuma receita. Por graça, vou cometer uma inconfidência com a minha filhota, desvendando a carta que ela escreveu ao Pai Natal. Porque, apesar de ter feito agora 13 anos, ainda tem muitas coisas de menina, que adoro.
Infelizmente, este ano é o primeiro que ela já não tem a convicção de que o Pai Natal existe. Com grande pena minha. Todos os anos, um dos momentos em que mais adorávamos era aquele em que ela procurava na rua, junto à porta ou ao pé da chaminé as prendas que chegavam pela magia. Era uma alegria! Para ela e para nós.
E, embora o Pai Natal tivesse o cuidado de não lhe dar tudo o que ela pedia (muitas vezes não dava mesmo o que ela mais queria), nunca ficou "zangada" com esse ser que eu sempre lhe disse que existia apenas para as crianças. O Pai Natal era a magia, uma fantasia tipo "Peter Pan". Ainda o ano passado, cheia de dúvidas sobre a sua existência, pediu na carta que lhe escreveu que ele lhe deixasse uma prova da sua existência: uma carta escrita pelo seu próprio punho. Claro que resolvi o problema, pedindo a uma amiga que o fizesse. Quando a recebeu leu-a, disse que tinhamos sido nós a fazê-la, mas a verdade é que cumpriu uma das exigências que o Pai Natal lhe fez: não podia deixar ninguém ler a carta, caso contrário ela desapareceria. A verdade é que ainda hoje a tem guardada e nunca deixou que ninguém a lesse!
Acabou e, este ano, sobra-me esta carta e a alegria de ter feito a minha filha sonhar durante muitos anos. Uma capacidade que, hoje em dia, infelizmente, as crianças perdem muito cedo. Ah, e a preocupação de arranjar uma fotagrafia do Pai Natal com um ar bastante credível... o que não vai ser fácil (riso)!


A CARTA DA TERESA

Olá!!!
Tb?? olha eu vou directa ao assunto..lol
Então eu este ano queria....
-1 ipod q já saiu nos estados unidos e é muta bom..lol mas não é daqueles grandalhões...tu deves de saber qual é..
-sims da noite, sims da universidade, sims glamour
- está bem, e so se poder ser um: sims pets
- faz as crianças necessitadas felizes
Os que estão a negrito são os que quero mesmo.
bjinhos Teresa

P.s- como se calhar eu para o ano posso não te escrever porque já sou muito crescida este ano ( ja que tu existes) da-me uma foto tua

quarta-feira, dezembro 13, 2006

ARROZ DO FORNO

Uma das coisas que mais aprecio no Natal é o almoço do dia propriamente dito. Regra geral, nesta altura do ano,rumamos ao Norte de Portugal, para casa dos meus pais e são uns dias a trabalhar com afinco para a engorda....
No dia de Natal, a minha mãe costuma acender o forno de lenha e lá assa o cabrito, as batatas e faz o arroz. Típico do Norte, mas que é um verdadeiro manjar....
Como por cá não há a possibilidade, nem sequer remota, de fazer um preparado idêntico, arranjam-se uns truques para dar a determinadas comidas um sabor levemente (muito leve mesmo) parecido.
Em todo o caso, a receita que aqui vou apresentar é bastante gostosa, fácil de preparar e uma forma de cozinhar o tradicional arroz branco de um modo diferente e com um bocadinho mais de sabor do que o normal.
Já se sabe que as quantidades variam consoante o número de pessoas à mesa....

Ingredientes para 4 pessoas
- 2 chávena de arroz, que pode ser do "normal" ou basmati
- 4 chávenas e meia de água a ferver
- duas fatias de presunto finas
- bocadinhos de bacon q.b. ou a gosto
- rodelinhas de chouriço q.b.ou a gosto
- três cabeças de alho esmagados
- 1 raminho de salsa
- azeite
- sal q.b

Confecção:
Começar por pôr a água a aquecer.
Enquanto, a água vai aquecendo até ferver, levar ao lume uma panela com azeite, juntamente com o alho, as carnes e o raminho de salsa. Deixar fritar um pouco no azeite, por mais ou menos cinco minutos, em lume não muito forte, mexendo de vez em quando. De seguida, junta-se o arroz, que se envolve bem naquele preparado e se deixa fritar um pouco, mexendo sempre. Quando o arroz já está "frito", junta-se a água a ferver, mexe-se e deixa-se ficar a cozer em lume brando.
Quando a água estiver reduzida a metade, retiram-se as carnes, a salsa e o alho da panela e transfere-se o arroz para um recipiente próprio de ir ao forno.
Leva-se o arroz ao forno previamente aquecido e, quando estiver sequinho, está pronto a servir.

Bom apetite...

terça-feira, dezembro 12, 2006

PARABÉNS


Hoje a minha filhota faz 13 anos. Como o tempo corre.

Ainda ontem um bébé ao meu colo e, agora, com pretensão a ser uma senhorita...

Hoje vai ser um jantar em família, como ela quis. Mas, no fim-de-semana, lá terá a festa com as amigas e os amiguinhos.

Parabéns filhota... Sê feliz e conserva para sempre esse teu sorriso e essa tua alegria.

sábado, dezembro 09, 2006

RABANADAS


O Natal está a chegar e começam a apetecer alguns daqueles docinhos que enchem as nossas mesas na noite da consoada. Lembrei-me, por isso, de fazer umas rabanadas, uma sobremesa que, embora não aprecie tanto como as filhoses, é também bastante agradável.


Ingredientes


- pão de véspera ou com dois dias, aquele a que normalmente se chama cacete, embora também dê com pão de forma
- 3,5 dl de leite
- 4 ovos
- cinco colheres de sopa de açúcar
- pau de canela
- 1 boa casca de limão
- canela em pó e mais açucar
- óleo para fritar

Confecção:
Começa por se partir o pão em fatias, com mais ou 1,5 cm.

Leva-se o leite a ferver com as cinco colheres de sopa de açúcar, a casca de limão e o pau de canela e reserva-se, mantendo-se quente.

Entretanto, batem-se os ovos muito bem.

A seguir passam-se as fatias de pão pelo leite, depois pelo ovo batido e frita-se em óleo bem quente. Vira-se dos dois lados.

Quando as fatias estiverem douradas, retiram-se e escorrem-se sobre papel absorvente

Colocam-se numa travessa polvilhada com açucar e canela moída. Sobre as rabanadas, polvilha-se com mais um pouco de açucar e canela.


Bom apetite!!!


P.S. As rabanadas da foto estão polvilhadas com açucar em excesso.

sexta-feira, dezembro 08, 2006

Batatas gratinadas


Hoje vou deixar aqui um acompanhamento muito simples de fazer, mas que apesar da sua simplicidade é óptimo para servir com uma carne assada ou até com um bife grelhado. Além de gostoso, dá um toque de "sofisticação" na hora de pôr a comida na mesa.


Aí vai:


Ingredientes para umas quatro pessoas:

- 4 batatas grandes

- alho picado

- pimenta preta

- sal

- mostarda em grão ou então uma colher de café de mostarda bem cheia (eu uso esta última)

- um pacote de natas frescas

- pão ralado


Confecção:


Descascar as batatas e cortá-las em rodelas bem finas. Colocar num recipiente próprio de ir ao forno, que não seja muito grande, uma camada de batatas. Temperar com sal, pimenta preta moída na altura e alho picadinho. Fazer sempre assim até à última camada de batatas.

Quando tiver terminadas as camadas de batatas, despejar um pacote de natas, onde se misturou uns grãos de mostarda ou então a colher de mostarda. Polvilhar com pão ralado e levar ao forno aí uma meia hora.


Bom apetite e bom feriado....

terça-feira, dezembro 05, 2006

ESPARGUETE COM SALMÃO


Confesso que estou a ficar um bocadinho desmoralizada, por não colocar as receitas acompanhadas pela respectiva foto. Mas, depois de muito procurar, tenho de concluir que perdi aquele aparelho (não sei o nome) que serve para transferir as fotos da máquina para o computador. Terei de procurar alguma loja especializada algum aparelho que sirva para utilizar na minha máquina (esta foi comprada em Amesterdão).
Pode ser que consiga fazer essa pequisa no fim-de-semana, embora nesta altura do ano seja um verdadeiro pesadelo ir a algum local onde existam lojas. Parece que as pessoas entram todas num transe consumista que eu não consigo entender. Para mim, no Natal, as prendas deviam ser só para as crianças! Sinais do tempo....


Depois de todo este palavreado, lá vai a receita, que é muito simples, fácil e gostosa.


Ingredientes:

- Para três pessoas costumo utilizar dois bons lombos de salmão fresco

- manteiga (q.b)

- quatro a cinco cabeças de alho (gosto muito de alho)

- sal e pimenta

- 1 pacote de natas fresca

- esparguete ou qualquer outra massa a gosto


Confecção:

Cozer a massa em água da forma habitual.

Enquanto isso, cortar os lombos de salmão em pequenas lascas, com uma faca bem afiada.

Pôr a manteiga q.b. a derreter numa frigideira ou panela, juntamente com os alhos que devem ser levemente esmagados. Quando a manteiga derreter, juntar as lascas de salmão e deixar "fritar" por 4 a 5 minutos. Quando achar que o salmão está no ponto certo, juntar o pacote de natas e deixar fervilhar. Temperar com sal e pimenta preta moída na altura. Deitar sobre a massa previamente escorrida da água e... servir!

Espero que gostem. É bem agradável....

segunda-feira, dezembro 04, 2006

Jardim sem flores

Como não há foto da minha comida, aí vai uma do meu jardim ainda sem flores! Mas está para breve...




ENTRECOSTO DE PORCO NO FORNO

O fim-de-semana lá vai e nem parece que foi prolongado. Passou a correr! Mas houve tempo para ir ver as iluminações de Natal na baixa de Lisboa que me deixaram... decepcionada. Este ano estão fraquinhas: "No money, no funny"!
Enfim, sinais do tempo em que o dinheiro, dizem, não abunda :)
Acabado o fim-de-semana, lá volta a rotina, as panelas e a preocupação com o jantar. Que no meu caso é também com o almoço do dia seguinte. É que a minha filha comia da comida do colégio onde anda, o que era um descanso para mim.
Mas, este ano, tanto pediu que acabei por ceder e deixá-la levar o almoço de casa. Desenganem-se, que não foi pelos belos petiscos que a mãe prepara!!! O motivo é bem menos nobre: estar mais tempo com as amigas que também levam a comida de casa!
Porém, amanhã, uma amiguinha faz anos e, como já são crescidinhas, decidiram, com autorização dos pais, ir "almoçar fora" e comer um "belo" hamburguer.
Por isso, para o jantar de hoje decidi fazer entrecosto no forno, um prato que aprecio bastante. Pena é ainda não ter disponível a máquina fotográfica, para registar o belo do pitéu. Fica para a próxima. Mas chega de conversa e aí vai a receita. As quantidades variam consoante o número de pessoas à mesa.

Ingredientes:
- Entrecosto em tiras
- banha de porco
- bastante alho
- massa de pimentão
- salsa
- azeite
- sal
- vinho branco

Modo de preparação
Começa por se fazer uma pasta com a banha, a massa de pimentão, o alho picado, salsa picada, azeite e sal. Esta deve ser em quantidade suficiente para se barrar bem as tiras de entrecosto. Deixa-se ficar assim umas horas a carne para tomar o gosto.
Quando se levar ao forno rega-se o entrecosto com vinho branco. Deve-se virar a carne de vez em quando e, se virem que é preciso, ir regando com o vinho para não secar.
Penso que mais ou menos uma hora, com o forno a 200 graus, é suficiente para a carne ficar boa.

Bom apetite!

sexta-feira, dezembro 01, 2006

BACALHAU À ROMEU

A receita que vou colocar aqui retirei-a do livro "O Grande Livro das Receitas de Bacalhau", editado pela Impala. É uma forma bem agradável e saborosa de comer o fiel amigo. Só tem, para mim, o inconveniente de obrigar a "muitos fritos".
Mas, experimentem que, garanto, não se vão arrepender.
Vou colocar a receita mais ou menos como vem no livro, indicando as quantidades que eles recomendam para quatro doses.

Ingredientes:
-2 cebolas
-2 dl de azeite
-1 colher de chá de colorau
-3 postas de bacalhau demolhado
-5 ovos
-800 g de batatas
-farinha e óleo q.b.


Confecção:
Refogar numa panela uma cebola picada em meio decilitro de azeite. Polvilhar depois com colorau e deixar refogar mais um pouco.

Entretanto, cortar o bacalhau em pedaços, passá-los por farinha e pelos ovos batidos. Fritar ligeiramente no restante azeite. De seguida, juntar os pedaços de bacalhau ao refogado, tapar e deixar cozinhar em lume brando.

Cortar as batatas aos quartos e fritá-las em óleo. Escorrer bem a gordura. Misture-as depois com o bacalhau e deixe tomar gosto. Rectifique os temperos. Sirva quente.

Pode acompanhar com legumes salteados em azeite e alho.

Bom apetite!