terça-feira, janeiro 30, 2007

Peixinhos da Horta (Comidas da memória)


Achei engraçada a ideia do blog Trem Bom em ficar a conhecer os sabores que guardamos da nossa infância. Eu guardo vários. Como umas batatas fritas às rodelas grossas, fritas em azeite, que a minha avó fazia. Nunca as consegui reproduzir, apesar de ter tentado várias vezes. Não sei se era por ela as cozinhar lentamente, num daqueles fogareiros a carvão que já não encontramos mais.
Mas lembro-me também, com saudade, dos peixinhos da horta que a minha mãe fazia. Adorava!!! Era um dia de festa quando os via na mesa. Actualmente, é muito raro fazê-los porque cá em casa ninguém aprecia muito. Mas ao ler o Trem Bom, veio-me logo à memória os peixinhos da horta e uma vontade incrível de os comer. Fiz e só para mim. Deliciei-me!
Aí vai a receita, com as medidas aproximadas, pois faço a olho....

Ingredientes aí para umas quatro pessoas:
- 300 g de feijão verde
- 100 g de farinha de trigo
- umas gotinhas de sumo de limão (talvez uma colher se sobremesa)
- 1 colher de sopa de azeite
- 0,5 dl de vinho branco
- 2 ovos inteiros
- sal e pimenta q.b.
- óleo para fritar

Confeccção:
Lave o feijão verde, retire-lhe as pontas e os fios. Coloque-os numa panela com água a ferver e sal e deixe-os ficar uns 5 minutos, ou até ficarem semi-cozidos. Retire-os, escorra o feijão da água e deixe arrefecer.
Entretanto, numa tijela, coloque a farinha, abra um buraco ao meio. Aí deite, sal, pimenta preta moída, o sumo de limão e o azeite. Comece a mexer com uma colher de pau e, sem parar de mexer, junte o vinho. Continue a mexer, vá juntando os ovos, um a um, inteiros. Bata a massa mais um bocadinho, parando quando estiver bem ligada.
Envolva os feijões, dois a dois, na massa e leve a fritar em óleo quente.
Bom apetite

segunda-feira, janeiro 29, 2007

S.O.S.

Estou a precisar de ajuda! Comprei umas costeletas de cordeiro, mas agora não sei que tempero lhes hei-de dar e, no caso de optar por as fritar, qual o tipo de gordura mais adequado para o fazer. Já não comprava destas costeletas há muito tempo (anos) e não me consigo lembrar como as fazia. Não é que deva ser difícil, mas fico à espera de uma ajuda... Todas as sugestões serão bem-vindas.
Obrigado, desde já!

sábado, janeiro 27, 2007

POLVO NO FORNO


Adoro polvo. De qualquer maneira. Por isso, de vez em quando... lá vai polvo. Hoje, para o almoço, foi no forno. E estava muito bom. Aí vai a receita. Como faço a olho, não vou colocar quantidades muito exactas.

Ingredientes:
- 1 polvo grande
- batatas
-1 dl azeite
- 3 cebolas
- 2 dentes de alho
- 3 tomates maduros
- 1 copo de vinho branco ou tinto (prefiro o tinto)
- 1 folha de louro
- 1 malagueta
- metade de um chouriço de carne (nem sempre ponho)

Confeccão
Cozer o polvo. Eu costumo cozer numa panela anti-aderente, sem água, em lume médio. Ou seja, coloco apenas o polvo e uma cebola, cozendo o polvo na própria água que ele larga. Leva mais ou menos 1 hora.
À parte, levar ao lume o azeite com 2 cebolas partidas às rodelas e o alho. Quando começar a alourar, juntar o tomate partido aos bocados e a malagueta. Deixar refogar mais um pouquinho e juntar o chourico e a folha de louro. Junta-se depois o vinho e um copo da água da cozedura do polvo. Deixar ferver cinco minutos. Veja se está bom de sal.
Coloca-se o polvo num recipiente próprio de ir ao forno, juntamente com as batatas (que foram cozidas previamente) e rega-se com o molho do refogado.
Leva-se ao forno, já aquecido, durante 15 minutos, a 220 graus.
Bom apetite

P.S. Uma forma muito simples, mas muito saborosa, de comer o polvo é cozê-lo como indiquei na receita acima. Depois de cozido, fazer um refogado de cebola e alho em azeite. Quando estes, começarem a alourar, junta-se o polvo partido aos bocados. Mexe-se e deixa-se envolver bem no preparado. Rega-se com a água em que o polvo cozeu, polvilha-se com salsa picada. Ferve um pouco e serve-se de seguida, acompanhado por umas belas batatas cozidas.

quarta-feira, janeiro 24, 2007

Bolo de Canela e Cacau




Hoje a minha filha pediu-me para fazer um bolinho. Gosta de levar uma(s) fatia(s) para comer a meio da tarde, depois de terminadas as aulas. Felizmente, ela bem pode comer uns doces de vez em quando... Além de ser uma elegância, faz muito desporto. Decidi fazer-lhe a vontade, mas estava a apetecer-me fazer um bolo diferente dos que faço habitualmente. Depois de algum vasculhar nos livros que tenho por aí e pela internet, fui descobrir este no blog da Elvira (www.elvirabistrot.blogspot.com). Revelou-se uma excelente opção. Quase não cresceu (não sei se por erro meu ou por ser mesmo assim), mas de sabor teve uma nota 20. Gostou a filha, gostou o pai e, infelizmente, a mãe também. Irei com toda a certeza repetir.
Aí vai a receita tal como vem no referido blog, tendo apenas substituído o cacau por chocolate, já que era este o ingrediente que tinha em casa.

Ingredientes:
- 200 g de farinha para bolos com fermento
- 100 g de açúcar
- 3 colheres (sopa) de cacau em pó
- 1 colher (chá) de canela em pó
- 3 gotas de concentrado de baunilha
- 1 dl de óleo
- 2 dl de sumo de laranja
- óleo e açúcar q.b.
Confecção:Pré-aquecer o forno a 180ºC.Misturar muito bem a farinha com o açúcar, o cacau e a canela. Abrir um buraco no meio e juntar o óleo e a baunilha.Incorporar o sumo de laranja. Bater muito bem até obter uma massa lisa e homogénea. Transferir a massa para uma forma redonda sem chaminé untada com um pouco de azeite. Levar a cozer no meio do forno por 35 minutos.Polvilhar com um pouco de açúcar à saída do forno. Deixar amornar e desenformar . Servir o bolo levemente morno ou frio.

terça-feira, janeiro 23, 2007

LEGUMES SALTEADOS

Estou a recuperar de uma dura gripe que me "agarrou" no último domingo. Nada mais incomodativo do que ter febre, ter o pingo no nariz... Que vá para bem longe e que seja a primeira e a última deste Inverno! Em consequência, pouca paciência para tudo e todos! Amanhã já irei trabalhar o que é um bom sinal.
Voltando aos (mal) cozinhados, hoje vou deixar aqui um acompanhamento que é difícil de fazer e que poucos conhecerão (riso). Mas, para os que não conhecem, é uma sugestão deliciosa, para os que conhecem fica a minha forma de fazer.

Ingredientes:
- 2 cenouras pequenas
- 1 ou dois alhos franceses (consoante o gosto)
- 1 couve lombarda não muito grande
- 100 gramas de bacon aos cubinhos
- azite q.b.
- sal q.b.

Confecção:
Lavar os legumes. Cortar a cenoura e os alhos franceses em juliana. Cortar as folhas da couve em bocados não muito pequenos. Levar a lume brando, numa panela anti-aderente, os legumes, juntamente com o bacon. Regar com um fiozinho de azeite e temperar com sal (não muito, porque o bacon é salgado). Tapar a panela e deixar cozinhar lentamente. Mexer de vez em quando. Em mais ou menos 30 minutos fica pronto.
Bom apetite!

sábado, janeiro 20, 2007

VINHOS PARA O JANTAR


Hoje vamos ter uns amigos holandeses para jantar. Vai ser tudo muito simples, embora saboroso (espero eu)! Para acompanhar teremos também um bom vinho. Sou uma grande apreciadora de vinho (não conhecedora), especialmente tinto. E, felizmente, cá em casa não sou a única. Gostamos, muitas vezes, de acompanhar a refeição com um bom vinho. Temos uma garrafeira que, embora pequena, é excelente.
Há mais ou menos um ano descobrimos o PONTUAL, que se tornou uma presença frequente à nossa mesa. Mesmo não sendo reserva, é muito bom. Mas, hoje vamos beber um PONTUAL 2004, Reserva. É excelente! É um vinho alentejano, produzido e engarrafado no Alandroal, e que, segundo o rótulo, combina as castas Alicante Bouschet, Syrah e Touriga Nacional. Diz ainda: descandou em barricas de carvalho, embendo-se durante meses na nobreza aromática da madeira.
Vale a pena, garanto!


Com a sobremesa (haverá uns docinhos, bem docinhos...) iremos colocar na mesa um vinho do Porto feito pelo meu pai que tem uma pequena produção, destinada única e exclusivamente ao nosso consumo. Não fotografei, porque a garrafa não tem rótulo. Mas, é o melhor vinho do Porto do mundo. Depois de beber este, não consigo apreciar qualquer outro.
Além desse, servirei fresco, um GRANDJO 2004 LATE HARVEST. É um vinho doce do Douro que adoramos, embora carote. Mas vale a pena exprimentar. Diz o rótulo que é elaborado a partir de uvas Semillon afectadas pelo fungo da Botrytis Cinerea, fenómeno natural que origina vinhos doces, glicéricos, saborosos e longos.
Só para aguçar o apetite a quem não conhece, vou transcrever mais um bocadinho: salientam-se os aromas intensos de alperce seco, passas, mel e uma nuance de madeira oriunda do estágio parcial de barricas novas. Agora, garanto eu, enche o paladar...
Espero que sejam boas sugestões!

quinta-feira, janeiro 18, 2007

CROQUETES DE ATUM


Muito agradáveis, estes croquetes são óptimos para um lanche, um petisco ou uma refeição ligeira. Costumo ter sempre uma porção deles guardada no congelador, que são um bom "desenrasque" quando é preciso arranjar qualquer coisa para comer ou, até, para mandar para o almoço da minha filha. Vou colocar aqui as quantidades que costumo usar e que dão para uma grande quantidade de croquetes (não sei exactamente quantos).


Ingredientes:
- 4 latas de atum
- 6 ovos cozidos
- 2 cebolas
- 3 colheres de sopa de azeite
- 2 colheres de sopa de vinagre
- 2 ou 3 ovos batidos
- Pão ralado q.b.
- Sal e salsa q.b.

Confecção
Cozer os ovos, retirando-se depois as gemas. Rejeitam-se as claras. As gemas são desfeitas com um garfo, juntando-se ainda o azeite e o vinagre, até ficar um creme . Entretanto, picam-se muito bem as cebolas e a salsa, que se juntam ao atum esfarelado e previamente escorrido do óleo. A este preparado adiciona-se o creme dos ovos. Amassa-se muito bem, até ficar uma massa homogénea.Fazem-se rolinhos ou bolinhas, que se passam pelo ovo batido e pelo pão ralado. Frita-se em óleo bem quente ou, então, guardam-se no congelador.

Bom apetite!


segunda-feira, janeiro 15, 2007

COXAS DE FRANGO COM MOLHO FRICASSÉ



Este é um prato muito saboroso. É uma forma diferente de fazer fricassé, que dá um prato muito bonito. Eu sei, pela foto não parece! Aliás, a foto não se parece com nada. Mas, a culpa é inteiramente da fotógrafa, ou seja EU. Esse é um ponto que vou tentar alterar. Hoje mesmo, depois de olhar para esta foto e quando não havia hipótese de a repetir (porque a comida já tinha ido), nomeei (será que é assim que se escreve???) a minha filha fotógrafa oficial deste blog. Ela aceitou a tarefa entusiasmada. Vamos lá ver como se porta (riso).
Ah, esta é uma receita tirada do site www.vaqueiro.pt. Já agora, se estiverem interessados neste prato, podem visitar o site que a foto lá colocada é de superior qualidade

Ingredientes para 4 pessoas
- 8 coxinhas de frango
- 8 fatias de bacom
- 100 gramas de manteiga
- 2 dl de natas frescas
-2,5 dl de água
- 1 cubo de caldo de galinha
- salsa picada
- 2 gemas

Confecção
Peça no talho para lhe desossarem as coxas de frango. Se não o fizerem, faça mesmo com o osso que fica bom. Enrole-as nas fatias de bacon e prenda com um palito.
Leve as a alourar numa frigideira com a manteiga. Retire-as quando estiverem douradinhas e estiverem bem cozinhadas. Retire-as e deite a gordura fora. Leve ao lume a mesma frigideira (sem lavar) com as natas, a água e o cubo de caldo de galinha. Deixe ferver suavemente sobre lume brando, mexendo de vez em quando. Regue com sumo de limão e junte a salsa picada. Desfaça as gemas com um pouco deste molho e depois junte-as ao restante molho mexendo sempre para não talhar. Introduza as coxinhas de frango e deixe cozinhar até estarem tenras.

Bom apetite!

domingo, janeiro 14, 2007

Doce um, dois... três!


Não sou muito dada a doces, felizmente. Embora coma, sempre preferi os salgados. Apesar disso, como tenho gulosos em casa, faço sempre qualquer coisa. Nem sempre corre bem. Não é o caso deste doce, muito agradável e fresco. Experimentei ontem e vou repetir, embora deva dizer que ele deve ser bom no verão, servido bem fresquinho. E, apesar do leite condensado, não fica muito doce. Mas, da próxima, talvez lhe acrescente umas folhas de gelatina para ficar mais consistente. Agora, mais fácil não há.... Quanto ao nome, não faço a menor ideia de como se chama. Decidi baptizá-lo com este bome e já vão perceber porque.


Ingredientes:
- 1 lata de leite condensado
- 2 iogurtes naturais
- sumo de três limões

Modo de fazer:
Juntar a lata de leite condensado com os iogurtes e bata bem. De seguida, misture o sumo dos limões e volte a bater bem. Leve ao frigorífico e sirva bem fresquinho.

Bom apetite


sexta-feira, janeiro 12, 2007

ESPARGUETE COM CAMARÃO E RÚCULA, que não levou




Sou uma fanática por massas. Acho que se comesse todos os dias massa, não enjoava. Mas, não pode ser. Temos de ter cuidado com a linha:).
Há já algum tempo tinha visto esta receita na reviste "Blue Cooking" e andava à espera de uma oportunidade para a testar. Foi hoje. E não me arrependo. Ficou realmente muito bom, embora não tenha seguido a receita à risca. E, em meia-hora, fica pronta.
Pena é que as minhas fotos não fiquem muito bem (acho que a minha mão treme sempre na hora da máquina disparar). Terei de começar a pedir à minha filha para fazer esse trabalho por mim... Mas vamos à receita. Começo por dizer que na revista era tagliatalle (aliás, penso que o prato fica mais bonito com este tipo de massa). Porém, estava-me a apetecer esparguete... Mas vou postar a receita tal e qual ela vem na revista "Blue Cooking".


Ingredientes para 4 pessoas
- 400 g de tagliatelle (usei esparguete)
- Azeite
- dois dentes de alho (usei três, porque gosto muito de alho)
- 1 a 2 malaguetas secas (como não tinha, usei uma malagueta fresca)
- Raspa e sumo de limão (usei apenas a raspa)
- 400 gramas de camarão crú descascado (com a cauda)
- 1 copo pequeno de vinho branco
- 2 colheres de chá de pasta de tomate seco ou seis tomates secos desfeitos em puré (usei cinco tomates secos que desfiz com a varinha mágica)
- 2 mãos cheias de rúcula (não usei, porque não havia no supermercado)

Confecção: Cozer a massa como habitualmente . Reserve um pouco da água de cozer a massa e escorra. Enquanto a massa coze, aqueça o azeite (três colheres de sopa) numa frigideira, em lume médio, junte o alho picado e as malaguetas desfeitas com os dedos (usei 1 fresca partida aos bocadinhos). Quando o alho começar a ganhar cor, juntar o camarão e cozinhe mexendo sem parar por um minuto (o meu ficou um pouco mais, até ficar rosadinho). Junte depois o vinho e a pasta de tomate seco e deixe borbulhar em lume médio por dois minutos (penso que deixei por quatro minutos). Misture a massa já escorrida no molho. Junte sumo de limão (como o molho estava tão bom, optei por esquecer o sumo de limão), metade da rúcula (não tinha) e um pouco do líquido de cozer a massa. Sirva a massa polvilhada com raspa de limão (comi uma parte sem a raspa e gostei, depois juntei a raspa do limão e também gostei muito) e decorada com a restante rúcula.

Bom apetite!

quarta-feira, janeiro 10, 2007

ARROZ DE CARNE


Como já disse aqui anteriormente, tenho andado com alguma preguicite. E o tempo também não abunda. Há dias, como o de hoje, em que chego bastante tarde a casa, já um pouco cansada e ainda com uma menina para "despachar" o banho, pôr a estudar... Enfim, o mesmo que em muitas outras casas! Como tal, nem sempre dá para pensar em pratos muito elaborados, complicados ou demorados. O que não quer dizer que não sejam bons ao paladar. O prato que hoje vou aqui colocar é um bom exemplo disso. De extrema simplicidade, mas gostoso. Penso, aliás, que é comum em muitas casas. Por isso, hesitei antes de colocar aqui a receita. Mas, como não tenho outra pretensão que não seja a de me divertir, aí vai.

Ingredientes
- Azeite
- Cebola
- vinho branco
- cenouras (uma grande ou mais, consoante o gosto)
- ervilhas
- arroz
- carne de vitela aos cubos (pode ser frango ou galinha)

Confecção
Refogar a cebola picada em azeite. Quando a cebola começar a ganhar cor, juntar a carne e mexer de forma a que fique alourada de ambos os lados. Juntar, então, a cenoura aos cubinhos pequenos (no arroz da foto optei por ralar a cenoura, porque não estava para me aborrecer com a minha filha). Mexer. Adicionar meio copo de água. Mexer e quando a carne estiver a ficar sem água, juntar um copo de vinho branco. Deixar evaporar e adicionar então as ervilhas. Mexer bem e, de seguida, colocar água suficiente para cobrir a carne. Deixar cozer a carne em lume brando e, se for ficando sem molho, juntar mais água. Quando a carne estiver tenra, adicionar a água suficiente para cozinhar o arroz (se quiser o arroz seco, juntar duas medidas de água para uma de arroz; se quiser malandrinho, juntar mais água do que a quantidade recomendada). Quando a água começar a ferver, junta-se o arroz, mexe-se e deixa-se cozinhar em lume brando. Verifique os temperos.

Bom apetite!

terça-feira, janeiro 09, 2007

Bolo dos três saquinhos




Tenho andado com uma preguiça terrível. Acho que já estou a precisar de férias, mais precisamente de umas noites com a certeza que na manhã na seguinte não haverá nenhum som irritante de despertador para me acordar. O que, nesta altura do ano, não será fácil.
Esta minha preguiça tem-se estendido à cozinha e, quando chego a casa, não tenho feito nada além do peixe cozido (que adoro), do bife grelhado e pouco mais...
Mas, no fim-de-semana, a minha filha resolveu trazer uma amiga para passarem a tarde a fingir que estudam! Decidi, então, fazer um bolito para as meninas lancharem.
Como a preguiça é grande, tinha de ser algo simples e rápido. Lembrei-me deste bolo que tinha visto há uns tempos no blog www.diariodacozinha.blogspot.com, o qual já me tinha chamado a atenção. E até tinha na dispensa um pudim instântaneo pedido pela receita. E devo dizer que resultou num bolo com uma cor muito bonita, bastante fofinho e de sabor agradável. Além das meninas, acabamos todos a comer o bolo. E gostamos muito. Dessa forma, vou transcrever a receita tal e qual a Mónica a publicou.

Ingredientes
- 1 pudim de pacote de caramelo (instântaneo)
- 3 ovos
- 3 saquinhos (do pudim depois de vazio) de açúcar
- 3 saquinhos de farinha
- 1 saquinho de óleo
- 1 saquinho de leite
- 1 colher de chá de fermento
Confecção

Batem-se os ovos com o açúcar. Junta-se a farinha com o fermento. Adiciona-se de seguida o pudim, o leite e o óleo. Vai ao forno em forma untada e polvilhada.
No meu caso, o bolo levou mais ou menos 40 minutos a cozer no forno a 180 graus.

BOM APETITE